Instalação e primeiros passos

Finalmente e após oito posts vou por as mãos na massa (leia-se pinguim). Longe vão os tempos das revistas com CD’s a oferecer distribuições de Linux que não funcionam com as nossas placas gráficas. Agora, no sec. XVI, obter uma ISO de uma distro é tão simples como fazer um download.

O problema é escolher por onde começar, mas após alguma ponderação escolhi para inicio de aventura o Lubuntu (salvé distrowatch.com). É uma distro (reparem como uso esta palavra como se fosse um entendido na matéria) leve, que consome poucos recursos e que se torna assim ideal, aos meus olhos, para criação de uma máquina virtual. Como já o referi no post anterior, vou optar pela criação de uma VM por oposição a instalação num PC de raíz ou dual boot. A opção pela criação de uma máquina virtual permite criar mais máquinas, ao ritmo que eu entender no futuro, ou seja, se a coisa evoluir favoravelmente, criar outras VM’s com base noutras distros (lá está a tal palavra novamente).

Com base nessa decisão, optei pelo software Oracle Virtual Box, não querendo dizer que de futuro uma solução VMWare Workstation Player 12 não possa ser a solução. Faço esta ressalva pois não quero criar uma guerra tipo Virtual BoX/VMWare.

Venha de lá o Pinguim!

Advertisements